Olhar o mundo como um todo indivisível

Olhar o mundo como um todo indivisível

interdisciplinaridade

Uma nova forma de pensar unida a uma percepção diferente de mundo em oposição à fragmentação do conhecimento, isso é interdisciplinaridade. Não mais um pensamento linear, acomodado e simplificador e sim conectado e partilhado com as várias áreas do saber.

A interdisciplinaridade permite reconhecer, além do diálogo entre as disciplinas, a conscientização da importância do indivíduo no mundo. A prática interdisciplinar rompe com o ensino tradicional e com o dia de tarefas escolares. O professor torna-se um pesquisador e formador de opinião e não mais um mero transmissor de conteúdo.

Mais de uma disciplina se une a um projeto comum, com um planejamento que as relacione. Durante o processo, estas áreas trocam conhecimento e enriquecem as possibilidades.

Na interdisciplinaridade há intercâmbio e interação de diversos conhecimentos de maneira recíproca e coordenada; mantêm-se os interesses de cada disciplina, entretanto buscam-se as soluções para os problemas por meio da articulação com outras.

     O sistema de disciplinas que temos hoje lida com o conhecimento de forma estanque, q realidade é extremamente complexa e as áreas isoladas não conseguem compreender e encontrar respostas para essa complexidade.

No século XXI, em um mundo de crises não se compreende porque ainda há uma visão tão fragmentada. Toda essa prática segmentada e com forte apelo tradicional remonta o século XVI, e segundo o professor Diamantino Fernandes Trindade,

“A fé no modelo científico, fora do qual não há nenhuma verdade, foi o fator limitante da concepção cartesiana. Seu método, baseado no raciocínio analítico, alavancou o desenvolvimento do pensamento científico e provocou uma profunda cisão no nosso modo de pensar, gerando o ensino disciplinar compartimentado”.

A partir desse momento desenvolveram-se as especializações e o conhecimento passou a ser restrito ao objeto de estudo e, portanto, mais preciso e impessoal. Foram delimitadas as fronteiras entre as disciplinas, porém houve a possibilidade de uma grande produção de conhecimento e tecnologia gerando novas e melhores condições de sobrevivência. 

A partir da década de 1960 a interdisciplinaridade surgiu na Europa como uma oposição ao saber alienado numa proposta com abordagem de problemas da existência cotidiana. No Brasil, esse novo olhar que integra disciplinas chegou nos anos 60 anunciando a necessidade de um projeto de educação, de escola e de vida.

Cabe à educação superar as limitações impostas pelo conhecimento fragmentado, por intermédio do trabalho interdisciplinar, permitindo o diálogo entre disciplinas e a consciência sobre a presença do homem no mundo.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *